Blog by Dani

sábado, fevereiro 25, 2006

Outros carnavais

.a
Mesmo correndo o risco de parecer ruim da cabeça ou doente do pé, eu admito: não gosto de Carnaval. E, antes que me atirem confetes e serpentinas na cara, eu explico.
O negócio é o seguinte: o Carnaval já não é mais o que era. Como tantas outras coisas que se alteraram, foi perdendo sua essência com o passar dos anos.
Criou-se em torno dos eventos carnavalescos uma aura comercial que transcende seu significado original. A agitação desta época pode ser vista em todo canto: ruas, lojas, supermercados, rodoviárias e aeroportos, onde todos acotovelam-se por comida, bebida, fantasias e viagens de última hora. É uma espécie de Natal pagão.
.
Pelo que vejo e ouço falar, bom mesmo era o Carnaval carioca de antigamente, no tempo em que os blocos passavam na Av. Rio Branco, arrastando consigo uma multidão de foliões empolgadíssimos. Nesses tempos, o Carnaval não discriminava ninguém. Não havia todo aquele luxo que há hoje nas escolas de samba, é verdade. Mas também não havia camarotes numerados, destinados aos que se intitulam vips.
É claro que este engrandecimento do Carnaval deu-se por outros motivos. Imagine esta festa que se faz na Sapucaí, só que a ingressos muito mais baratos ou mesmo de graça. Imaginou? Pois é. Ninguém teria mais sossego, pois a violência que permeia os eventos gratuitos não deixaria ninguém sambar em paz.
Ainda existe esse “formato” em alguns bairros da zona sul do Rio, em que blocos passam animando o pessoal. Mas aquela euforia que ocorria no Centro, onde ficava o foco da festa, agora precisa ser comprada.
.
.
Retrocedendo pelo menos uns 70 anos, veríamos os foliões passando naqueles carros conversíveis, denominados corsos carnavalescos*, com a capota arriada, jogando confete e serpentina uns nos outros – nas divertidas “batalhas de confete”, seguidos por outros, que vinham brincando no chão mesmo, e cantando aquelas marchinhas de carnaval que até hoje todos conhecemos (“Mamãe eu quero, mamãe eu quero, mamãe eu quero mamaaaaar...”). Do alto dos prédios, as pessoas promoviam chuvas de confete e papel picado, fazendo o asfalto desaparecer. O clímax, segundo relatos, ocorria na Cinelândia, onde a animação atingia seu nível máximo.
Era uma festa mais inocente, onde a população, na época mais despreocupada do que atualmente, extravasava sua alegria sem precisar pagar por isso.


E eu, sinceramente, acho que preferia ter vivido essa época, e visto a banda passar.
.
.
* O corso carnavalesco, hoje desaparecido, era um desfile de caminhões ou carros sem capota, adornados, que conduziam famílias ou grupos de carnavalescos dispostos a brincar com os pedestres ou com os ocupantes de outros veículos, surgiu em fins da década de 1900, com foliões fantasiados atirando confetes, serpentinas e o lança-perfume. A avenida Central, atual avenida Rio Branco, no Rio de Janeiro e a Avenida Paulista em São Paulo, inteiramente congestionada por esses automóveis, que circulavam em marcha reduzida, eram um dos trechos principais do cortejo. Reunia as famílias da alta sociedade carioca e paulistana. No carnaval de 1907, quando as filhas do então presidente Afonso Pena, fizeram um passeio no automóvel presidencial, pela via carnavalesca, estacionando depois defronte à porta de um edifício, de onde apreciaram a festa. Fascinados pela idéia, os foliões que tinham carro começaram a desfilar pela avenida, realizando calorosos duelos com outros veículos. A popularização dos automóveis afastou os foliões das classes alta e média, e nos anos 40 acabou desaparecendo de vez.

8 Comments:

  • At 7:30 PM, Blogger Jôka P. said…

    Nossa, que post bacanérrimo !!!
    Texto, fotos e musica perfeitos !
    Parabéns, Dani !!!
    ARRASOU !!!
    :D

     
  • At 7:43 PM, Anonymous Sabrina Mieko said…

    Oi Dani, vim conhecer seu blog! E gostei do que vi!
    Você não está só, muita gente detesta Carnaval (inclusive eu). Se for assim tá cheio de gente doente do pé por aí, ou ruim da cabeça, kkkkkkkkkkkk
    Bjs

     
  • At 9:22 PM, Anonymous Paulo said…

    Dani,
    Eu já joguei muitos confetes, mas isso já faz muito tempo.
    Hoje eu não tenho mais paciência para ficar naquela aglomeração toda!
    Eu vou aproveitar para descansar e ficar em casa lendo e estudando, rs
    Tudo de bom
    bjs

     
  • At 8:21 PM, Blogger Alba Regina said…

    oi dani...que fotos lindas!!! estou com vc carnaval bom pra mim é este de blocos com nomes super engraçados, marchinhas, rua mesmo....não sou ruim da cabeça e nem doente do pé! beijo grande!!!!

     
  • At 10:42 PM, Blogger Leleco said…

    Dani,

    Essa época de ouro do carnaval já passou mesmo. Este carnaval era inocente e cheio de brincadeiras.

    Hoje em dia vivemos numa época em que se cultua o luxo das escolas de samba. Escolas de samba? Não entendo esta definição, pois de escola não tem nada...rs...

    Não curto carnaval. Talvez gostasse se fosse como retratou nesse seu post.

    Só uma curiosidade: O Ibope mostrou que o Brasil é o país do Rock, não do samba. O show do Rolling Stones e do U2, deram respectivamente, 26 e 27 pontos, enquanto o desfile do Rio e em São Paulo dão 15 ou 16 em média.

    Posso dizer que neste final de semana, passei o melhor carnaval da minha vida. Você, meu amor, me proporcionou alegria, amor, diversão e carinho. Nunca vou esquecer. TE AMO!

    Brilhante post. Adorei as fotos e a música também.

    Mil Beijões, minha linda

     
  • At 10:12 AM, Anonymous Sammy said…

    Olá Dani...
    Sábias palavras de um grande colega, de que sempre as boas coisas acabam desaparecendo um dia.. isso é triste...
    Bom, pois é, deletei o blog, sabe como é, mas voltarei.. estou armando algo que será dez, vc irá conferir pois até lá eu irei te dizer, mas espero que não se esqueça de mim, por favor, ein? rsrsr
    Espero que vocês dois, tu e Leo, fiquem com Deus, com muito amor e paz de sobra, e nesse feriado - no qual trabalho - espero que vocês possam curtir muito juntinhos... olha o dvd boba.. rs
    Beijos e abraços.. saudades
    Sammy

     
  • At 2:17 PM, Blogger Nelsinho said…

    Ih! Dani!!!

    Tivemos a mesma idéia de título para um post de carnaval!

    Equador: Comprei e li, por recomendação da Cora; O livro tem um fim surpreendente...

    Bom carnaval

     
  • At 7:44 PM, Anonymous Priscila said…

    Só vc mesmo, Dani! "Amar, verbo intransitivo", de Mário de Andrade, que li pela primeira vez aos 16 anos, tem uma passagem que retrata o "corso carnavalesco", mas até hoje eu não tinha a mínima idéia de como tinha nascido ou qual era o nome desse evento. Só vc mesmo! :D Beijos e bom feriado :)

     

Postar um comentário

<< Home